9 de set de 2016

As palavras


As palavras se entalam.
Perco a vontade de falar.
Não há motivos para explicar,
Se cada um vê como quer,
Essa vida e as pessoas,
Cada um é o que é.


As palavras se perdem,
Em um imenso espaço,
Uma linha que separa
A satisfação em se dizer
E a decepção em acreditar
Que alguém entenderia,
Que defeitos são pequenos,
Quando se quer mudar.


As palavras emudecem
A alma que grita e ensurdecem
A mente tão aflita,
Com todos esses dilemas,
Com tantos outros problemas,
E somente uma pessoa
Para resolvê-los,
Para sorvê-los.


As palavras se escondem,
Encarceradas, adormecem,
Entorpecidas pela aflição
De não poderem ajudar
A fazer o coração,
Parar de nas pessoas
Tanta empatia depositar.


As palavras se vão,
Como em um rio, fluindo,
E às vezes param à margem,
Boiando, tão aparentes,
Mas talvez a grande verdade
É que não adianta buscá-las,
Tampouco o que elas trazem,
Pois tudo o que se consegue
É emudecer e deixar
Que isso passe cedo ou tarde.


Rebeca Lima