22 de out de 2015

Ei.

Ei, ei, ei meu amor, eu tô com saudade. 

Faz éons que a gente não se fala, de verdade, coisas aleatórias, coisas sérias, coisas do dia a dia, quando foi a ultima vez?
 Faz tanto tempo. 

Quem é você?
Quem sou eu? Quem somos nós?
Sera que minha tristeza é saudade de ti?
Será que estamos separadas pra sempre? Sera que só o pior está por vir?
E se estiver, você vai continuar comigo. 
E não é uma pergunta ou algo assim, é uma afirmação. 
Porque meu amor, você é minha e eu sou sua, e nós no fundo sempre saberemos disso; mesmo que não casemos, mesmo que tenhamos filhos de outras pessoas e dai? 

Quem disse que estando junto é que se pertence? 
Não sei como serei daqui a dez anos, mas sei como quero ser. 

E sei que boa parte do que eu quero ser hoje e sempre, é sua.
Sua qualquer coisa e principalmente seu nada, não dou atenção, não te cuido como antes e sou uma vadia preguiçosa, o drama existe muito e a grosseria também, a incerta sobre tudo sempre presente, mas no fundo a minha certeza é a gente. 
Então, meu pedaço, aguenta firme, guarda os pulsos, e as lagrimas, te evolui, te aprecia por mim, te cuida, por nós. 
Mesmo que o nosso ''nós'' esteja mais pra eu e você, longes, distantes e desconhecidas.
Não sei quem é essa Manuela, e não sabes quem sou eu, mas e dai? 

Sei que eis meu passado, presente e futuro.

Nós valemos a pena.
Então, calma coração e aguenta firme e forte, como uma amazona.
Eu te amo, lembra disso tá?