25 de set de 2015

A Estrada Dentro de Mim

O céu estava branco, a estrada parecia sem fim. Quanto mais andávamos, mais o tempo passava, e não chegavamos (eu e o breu) a lugar algum. 
Eu andava sozinha, com um vestido branco, em meio ao lavrado, a chuva começava a cair meticulosamente. Parecia até mesmo uma trama para o início do grande espetáculo num teatro, só que invés de um teatro era aquela clareira, e invés do espetáculo era o que estava por vir. 

- Eu esperei. -

Esperei por muito tempo, pareceram horas, mas, realmente, não tinha como eu saber. Sempre de guarda alta. Guarda alta. Tomando cuidado. Desconhecido. Muito cuidado.
E foi quando... Finalmente, dormi. 
Ouvi algo, e sorrateiramente, comecei a abrir os olhos, levantando rapidamente.
Foi quando, então, pela primeira vez, na vida... Que... Me surpreendo com o que me deparo... Em um abismo.