28 de set de 2015

A Bendita Bomba

BOOOOOOOM!!! 
Aquela mensagem foi como uma Terceira Guerra Mundial,
só que invés de países, eram as minhas emoções, e invés do mundo, era eu

Como aquilo era possível? Tal gesto,
 tais palavras,
 tamanha grandeza. 

O ser humano não é assim. 
Não é não. Não é tanto assim. Tanto tudo isso. 
A ideia era pra ser simples. Mas, há complexidade. 

Nunca imaginei que duas palavras provocariam uma tsunami, no meu coração. E o sangue jorrava. 
E o sangue beijava os meus lábios e a terra plana do chão, ahhh, tão receptiva.
Eis que li: Te Amo.
 
E a cena que se sucede, é o meu infarto,e o meu sutil apagar do mundo, minha hemorragia interna e externa e tudo, e minha combustão espontânea do universo. Sou, ou era, uma bomba relógio, mas também, um ser humano, que abraçou a morte, e deslizou direto e direitinho para os seus braços.