3 de dez de 2014

Emaranhado de filosofia "caosdramática"



Os ser humano é um ser que não aguenta o fardo de ser racional.
Sente mil coisas ao mesmo tempo, mas se pedido para que se exprese no meio de uma comunicação que ele mesmo inventou; trava, gagueja, dobra a língua, contorce e no final, das coisas profundas que sente, expressa apenas rasas sensações.

O homem mata aquilo que necessita para viver com a desculpa de que está evoluindo seu meio.
Mas por que esquecer de evoluir a si próprio?
A capacidade de ser "racional" nos torna "irracionais" diante de nós mesmos.

As pessoas produzem coisas lindas, porém, que nenhuma pessoa aproveita porque estão ocupadas demais produzindo.
Somos tão belos dentro do sistema feito por nós, porém tão patéticos quando vistos de fora.
Andam por aí alimentando o monstro que irá devora-los.
Monstro esse feito de ganância e ignorância.

Nossas lágrimas são pesadas, porém insignificantes.
A chuva ácida leva e lava qualquer marca de um revolucionário da salvação que peregrina por aí.

Não adianta querer parar de chorar, você gosta de se afogar nas próprias lágrimas.
Não adianta gritar, neste mundo, para você, não há ouvidos, apenas o silêncio com o cheiro da sua extinção.

Estamos transformando nossos filhos em restos.
nossos netos em "dor"
e nossos bisnetos em uma carne podre enrolada em volta de um coração.

Sangue já não é a única coisa que jorra de um corte por aqui.
A dor virou a remuneração do seu esforço.
Mas o mais pertubante é que aceitamos isto, nos conformamos em viver sangrando!!!

Formamos um pulmão cheio de fumaça que se recusa a respirar ar puro!