30 de nov de 2014

Carma

A poesia redigida
foi apenas fantasia
o meu corpo apenas sonha
sou completo empacado
de alma saltitante
e coração falante
mas por fora turvo meu mundo
por fora

todo

mudo

29 de nov de 2014

O Céu está Caindo

Eu corro em direção á saída
Eu tento encontrar um Caminho,
Mas meus pés me levam ao mesmo lugar
Estou perdido.
Estou correndo em círculos.
Eu grito o mais alto que posso
Eu tento encontrar Alguém,
Mas minha voz ecoa em minha cabeça
Estou sozinho.
Estou preso no meu próprio Replay.
Eu olho pra cima e tento avistar o céu
Eu tento encontrar a Luz,
Mas meus olhos estão cansados
Estou fraco.
Estou desaparecendo aos poucos.
Estou no meio de um temporal
Eu tento encontrar um Abrigo,
Estou no meio de um vendaval
O destino acabou comigo.
Eu corro para encontrar a saída
Mas já deixei de Acreditar,
Eu tento me manter erguido
Mas já cansei de esperar.
Eu gritei até ficar Rouco.
Mas o cansaço me matou aos poucos.
E cada gota que escorre,
É o pedaço de um Sonho indo.
E tudo que consigo ver
È que Hoje o Céu está Caindo.

26 de nov de 2014

LesbiAmismo [18+]

Elas tão belas
no estilo tesoura
se amando

gemidos tão belos
do velcro
soltando

A arte de escrever

Para quem eu escrevo? Oras! Para mim, para ti, para ele, para ela, para todos nós! Para os idosos, para os filhos, para os pais, para as mães, para o cachorro. Para os corações apaixonados de plantão, para o amigo que se sente só, para a pessoa que precisa de um apoio, para as lágrimas que não rolam pelo rosto, para levar felicidade, para compartilhar do peso da tristeza, para dividir o amor, para perder-me na razão, para procurar perguntas e tentar achar as respostas. Escrevo para aliviar a alma, escrevo para a mãe que perdeu o filho, para o namorado que brigou com a namorada, para quem perdeu seu amigo. Escrevo por quem a voz cala. Escrevo para quem chora de saudade, para quem ri por besteira, para quem chora de felicidade, para quem cala na sua tristeza, para quem busca o seu amor e para quem está de coração partido. Escrevo por quem grita para ter atenção. Escrevo para quem está na companhia da solidão, perdido no fracasso e para quem busca uma solução. Escrevo para quem quer ter história, para quem quer vencer e para quem está indo à luta. Escrevo para o poeta que sofre, escrevo para o autor com bloqueios e escrevo para quem também escreve. Escrevo para a mãe grávida, para o pobre sem esperança, para o rico que não é tão rico assim. Escrevo para mim. Escrevo para quem se perdeu e quer se encontrar. Escrevo para dar esperanças, para dar sonhos e para dar desejos. Escrevo para você que está lendo, seja lá o quê ou quem você for. Escrevo para escrever, escrevo por escrever. Eu apenas escrevo...

Não deixe boiar

Peixes não bebem refri
então, a garrafa que tá boiando no rio
não tem nenhuma função ali

21 de nov de 2014

Bem vindo a Boa Vista!

O pessoal dessa cidade
Faz tudo pela popularidade
Querem ter um ar de superioridade 
Para isso, perdem até a dignidade

Caras com carros rebaixados
Idiotas com pneus empinados
Vadias com cartões estourados

Usam camisas  da Hering 
Para fazerem aquele marketing
E quando são insultados,
Correm para fazer um boletim

Braços definidos e gigantes
Mas as pernas não são grandes o bastante

Tiram a roupa na santa cerva
E dizem que fumam aquela erva
Mas sabemos que é só conversa 

Quem curte a erva de verdade
Não precisa ficar tirando foto e espalhando pela cidade 

Celular em 50 parcelas
E o cérebro com inúmeras sequelas

Dão carona esperando um oral
Mas a garota não deu moral
Para eles isso não é normal

Bem vindo a Boa Vista!
Onde nenhum sonho se conquista
E onde a moda é ser metido a estilista 

 

20 de nov de 2014

Depressão

Dor irremediável
afagos inúteis
pensamento focado nos calos
causos jogados na sarjeta

controle quebrado por agonia
imagens inapagáveis  corroendo a memória
ópio castrado por falta de história
histeria noturna ao ler poesias

bitucas de depressão jogadas junto ao cartão
poeira restante da noite em vão
a cama tão dura quanto o coração
coração tão seco quanto os vidros no chão

13 de nov de 2014

História da Ganância

Uma história contarei
Sobre uma índia desalmada
E seu marido cacique

Um belo dia,
Nos piar dos pássaros
Ninguém sofria
Até a inveja chegar

Ela não veio
De forma abrupta
Mas tornou corrupta
Um povo de paz.

Ela chegou em forma de mulher
Mulher que seduz
Que produz
A teia envolvente
Da ambição

Cego de amor e ganância
Estava o pobre cacique!
Ela o seduzia com a dança
A dança que mata a beleza
Destrói a pureza
Deixa a incerteza
Se haverá dias melhores...

Ai do povo, que se queixava
Pois ela não deixava
Entrar a voz
Da sabedoria.

Ela era dissimulada
Envolvente e sarcástica.
Se fazia de coitada,
Mas era tudo uma máscara.

Foi quando o clímax aconteceu
A morte do bom cacique,
Ocorreu.

A vida não era mais a mesma.
A vila não era mais.
A sedução da ganância já
Tinha atingido o mais puro

Matou todos...
... Até Tupã chegar
Tupã era inabalável
Veio pra derrotar
O mal que assolava!

Não derrotou de espada
E sim com palavras
Palavras de acolher
E assim tirou o mal.

Tupã não era anormal
Ele apenas
Era um índio comum
Índio com bondade

E no final,
A bondade reinou
O mal ela dizimou
E nunca mais houve discórdia
Na hoje, pura vila.

SILÊNCIO

Preciso ouvir
O som da minha voz
Preciso ver
O tom da minha alma...
Preciso ouvir
O som da noz
Preciso ver
A alegria da minha alma..
Preciso...
Ver o teu carinho...
Preciso te ouvir um pouquinho...
Silêncio...
Silêncio...
Vamos marcar um encontro?
Preciso que me ensines
A sabedoria
Do ouvir...
Do ouvir...
Do ouvir...
Quero por um momento
Fechar meus olhos
Não ter nenhum intento
Apenas sentir minhas pupilas
Sem pressa...
Sem conversa...
Tentar ver com o ouvido
Ouvir com minha boca
Não quero nenhum ruído
Não quero conversa oca
Mergulhar no silêncio é uma experiência
De sentir o pulsar da vida
Estou percebendo que tudo só tem ida
O tempo é um senhor severo
Não desculpa a displicência
Um tanto austero Implacável!
SILÊNCIO!!!
Quero viver...
Quero aprender!

12 de nov de 2014

Amor

Como posso esquecer
Como posso?
Como hei de apagar da minha mente
Você

Conturbação de pensamentos
Distúrbios
Transtornos de pensar
Em você

Como eu conseguiria dormir ser você?
Como eu viveria sem você
Só queria dizer:
"Eu te amo"
Pra minha querida
E amada
Cama. <3

9 de nov de 2014

Mémorias

Trechos soltos,
Versos rasgados,
Palavras ao vento...
Velhos feitiços
Perdidos no tempo

Capítulos em branco,
Páginas limpas,
Folhas ainda alvas,
Para novas histórias
Que ainda vão ser contadas.

As já escritas
Em páginas marcadas,
Folhas amareladas.
Além do alcance
Velhas histórias
Novas e velhas,
Fazem minhas memórias...

8 de nov de 2014

Praia


E quando,
nos meus pés
eu sentir a maresia
eu sentir a alegria
de entrar no mar

E quando,
o sol beijar o mar
e um lindo
pôr-do-sol formar
estarei lembrando

Quanto mais as ondas batem
mais saudades sinto
daquela praia
e de tudo que ela me recorda!

Quem dera eu,
ser uma onda.
e quebrar na tua praia!

Eu sinto,
a areia nos meus pés.

Eu sinto,
as forças da natureza,
agindo com firmeza,
algo, pressinto.

No mar, quebrar.
Nas ondas do pensamento,
surfar.

Vai que
Um dia desses,
casualmente te encontro
e invado tua praia.

Bom Dia


Quando você sumiu, 
Meu mundo simplesmente caiu.

Você continuava a curtir todas as minhas fotos,
Sem nenhum remorso, eu deverias saber
Do seu histórico.

O fim do poço foi onde eu padeci,
Pois o mal que me fizestes ainda não esqueci.

Então vi aquela foto sua que vazou e 
Minha gargalhada ecoou.

Você tem um jeito pelicular de dar "Bom Dia",
Mas que mal isso fazia? Eu apenas sorria!

Você já ficou com a cidade toda,
Do Brookling ao Minessota,
Exceto com aquela garota.

Então cê me pergunta se estou chateado contigo,
Mas como vou explicar que ainda estou com coração partido?

O seu pastor não sabe sobre você,
Mas aposto que vai enlouquecer com a mensagem que já vai receber.

Me senti mal por alguns segundos e até me achei criança,
Mas aquilo era como minha forma de vingança.

A pose de santinho cê tenta sustentar,
Só para outros garotos poder pegar.

E quanto mais a foto repercutia, 
Mais ainda você sofria, a sua reputação caia 
E eu ria de toda essa ironia.

7 de nov de 2014

Nostalgia

do primeiro amor a gente nunca esquece.
Como eu me lembro
dos olhos brilhando
ao ver teu semblante
 ao ver a luz do sol
em teu rosto bater
comecei a me envolverem uma trama de paixão
hoje tu és
minha mais pura musa
que nunca teu rosto esqueci.
quero relembrar aquio quão forte era
o amor puro
que a ti sentia
mal sabia da teia que eu me envolvia
sem perceber
não tem como não lembrar
do primeiro amoré puro, leve.
mas hoje,nostálgico,
relembro,aquilo que senti.
olha,como era bom!
x

4 de nov de 2014

Chicote grosso

Acobertamos muitos desejos imprevisíveis
que outrora vem à pele e afloram
armas inflamáveis e falíveis

Quando os esforços caem no fundo do poço
a vida arranha as costas
tal qual chicote grosso

Pensamentos acompanham o mundo na contra mão
e de mãos dadas,
se fundem ao caos construído por ilusões da inteligência

A breguice diária te causa depressão
de mãos desatadas
e com a apatia estampada numa alma que pede clemência

Mãos ao céu
cabeça baixa vomitando fel
todo lirismo está morto

A vida machuca,
faz mastigar até o caroço
a vida machuca
tal qual chicote grosso