15 de abr de 2014

Texto sem título



“O legal de folhear nossas mensagens antigas, é achar que aquilo um dia foi verdade, ou parecia ser [...]” Isso pode estar parecendo mais como um texto sentimentalista, mas não. Isso é uma história, que aconteceu há tempos, na fenda do bikini. Claro que eu estou zoando da cara de vocês, isso não se passou lá (eu acho). Certas coisas não deveriam acontecer, mas já que acontecem, temos nada a reclamar. A história se passa em Porto Alegre. Seu nome era Felipe. Ele conheceu uma menina no busão. Não foi uma paixão normal, daquelas que só se olha. Ele tinha atitude e atrás dela correu. Chegou nela e disse:
                - Oi
                -Oi
                Para ser sincero, esse deve ter sido o ‘’Oi’’ mais áspero que lhe já fora dito em toda a sua vida. Mas, ele tentou ganha-la na conversa. Acho que conseguiu.
                -Dia lindo não?
                -Tu acha que eu ligo pra dia guri? Passa reto.
                Como disse, nem tudo acontece da forma de deveria acontecer. Ele continuou:
                -Só tentei ser educado.
                -Desculpa a má educação, mas o dia hoje não está bom. Não sei por que estou falando isso com você, um estranho que acabo de distratar.
                -Sem problemas. Conte-me o que houve? O que lhe aflige?
                -São os dias? Porque tão longos, tão tristes, violentos? Porque a escuridão da calada da noite abriga os nossos piores temores? Qual a imensidão que nos cerca? São perguntas que não podem ser resolutas por nenhum ser humano.
                - Bem colocado minha cara. Gostaria de uma conversa?
                - E, por um acaso, estamos cortando cana aqui?
                - Qual seu número, te ligo.
                - 891-0291
                Quem diria que de um papo xucro sairia uma grande amizade que logo pois transformara-se em paixão? Eles saíram cada um em direções distintas. Logo depois de um tempo, saíram para conversar.

‘’CONTINUA NO PRÓXIMO EPISÓDIO.’’