27 de set de 2013

Manifesto de repúdio aos fones de ouvido divosos

   O que me leva a escrever este texto, e a dar a ele o que deve ser o titulo mais longo que já dei a algum, é a raiva que fones de ouvido metidos a diva fazem as pessoas passar. Eu sou uma das vítimas desses palhaços, quando recorro ao botão de pause para poder ouvir e participar de uma conversa com amigos, sou deixado na mão. A noite, quando ponho uma playlist de músicas suaves, não sei como, mas o fone dá um jeito de fazer o celular reproduzir o rock mais brutal que eu tiver disponível, isso quando não põe a música num volume tão alto que fica impossível relaxar e até usar o fone.
   Infelizmente, os fones divosos também comentem os crimes de um fone normal, mas de modo mil vezes pior! Não tem quando o fio do fone se embola todo nos nossos bolsos? Pois é, até hoje não consegui desfazer um nó no meu divoso.
   E quando apenas um dos lados continua a funcionar? Já recebi relatos de roqueiros traumatizados por que um dos fones deu pau durante um riff, de amantes de ópera que tiveram seus corações dilacerados - e alguns até parados - por que um dos lados pifou durante um belíssimo solo de tenor, e até de funkeiros que perderam o ritmo quando essa desgraça lhes aconteceu (funkeiro usa fone e tem ritmo? desde quando?). Por isso, e muito mais, quero deixar bem claro meu repúdio a esses equipamentos desprezíveis, ordinários, irritantes, patetas ... e agoniantes.


Palavra do Autor:
   Engraçado como escritor reclama da inspiração, mas ela acaba surgindo do nada. Esse texto me surgiu quando eu não conseguia pausar a música pelo fone e fui obrigado a desconectar pra conseguir. Claro que ao escrever esse texto humorístico aumentei e inventei muita coisa, meu fone não tem nó algum por exemplo, mas, foi apenas uma forma de brincar com algo que é irritante muitas vezes. Espero que tenha se divertido ao ler essa amostra de loucura minha.

Ass: Yuri Francisco Hupsel dos Santos