5 de jan de 2013

Um pedido de socorro


A vida não é justa… Não ela nunca foi, mas, sabe ás vezes ela poderia ter pena de mim, sabe? Saber que você chora todas as noites, se sente só, e eu? Eu não posso fazer nada, mas, isso... Está me matando, eu não quero mais te ver chorar, não quero mais te ver sofrer…
Está doendo aqui dentro de mim, está me matando, aos poucos, essa dor insuportável está me deixando louca, mas, nem desabafar eu posso, pois, as pessoas que chegam a me ouvir, ao invés de me ajudar, choram, e isso me machuca.
Sabe, eu queria um conselho, um que desse certo.
Queria que como num conto de fadas, eu acordasse e as coisas mudassem, queria que as coisas dessem certo, uma vez, pelo menos dessa vez…
Eu quero morrer, mas, quem liga? Ninguém liga, pois ninguém sabe…
Tem uma fera dentro de mim, que esta noite, está querendo se libertar, está gritando pelo teu nome, está implorando piedade. Por favor, me mates com pancadas, mas, não com estas palavras...
Eu gritei socorro, mas, ninguém me ouviu… Eu pedi ajuda, mas, ninguém ouviu… Eu pedi para que essa dor parasse, mas, não, ela não parou!
Por favor, entenda-me, para você pode parecer drama… Mas, não é…
Por favor, escuta-me, ajuda-me, tires esta cruz das minhas costas, essa angustia de meu peito, essa dor do meu pensamento, por favor, me ajude.
Eu gritava, mas, ninguém me ouvia, e então eu percebi que estava só, que gritava ao vento, e que só ele, apenas ele, poderia me ajudar… Poderia tirar estas dores sufocantes de mim, e trazer-me alegrias.