22 de dez de 2012

Inimigos Amantes

  Ventos frios o cercam na alto da colina, ele põe a mão no cabo de sua espada, olha para os 40 mil soldados sobre o estandarte branco dos Stark atrás de si, seus guerreiros, seus irmãos de armas. E a sua frente os 50 mil homens sob o estandarte carmesim dos Lannister, seus inimigos, comandados por uma mulher misteriosa, uma Lannister desconhecida. De seu garanhão cinza ele olha para o lobo gigante ao seu lado, negro como a noite mais tenebrosa e de olhos mais vermelhos e quentes que o próprio fogo.
   Yuri, Rei do Norte, ouve a trompa de guerra soando do lado Lannister, então dá o sinal ao seus homens indicando que a batalha começou, e erguendo Gelo, sua espada, solta o grito de guerra:
  - Por Winterfell!!!!!
  As duas tropas avançam uma sobre a outra, e ao se encontrarem inicia-se uma batalha sangrenta.Yuri avança junto ao seu lobo, Sombra avança ferozmente arrancando a cabeça de homens e cavalos com uma única mordida, e em movimento mais rápidos que um piscar de olhos. Em meio a batalha Yuri avista a Lannister desconhecida montada em uma égua branca, trajando uma armadura dourada e prateada com o elmo em formato da cabeça de leão. Ele avança em sua direção e a ataca, a Lannister, quase pega de surpresa, o bloqueia no ultimo segundo mas os dois acabam caindo de suas montarias. No chão, Yuri arranca seu elmo e fala:
  - Que tal decidirmos isso em um duelo? Eu e você, assim evitamos a morte de bons homens.
Com um aceno a Lannister concorda e apontando a espada para um homem perto dela, pede que soe a trombeta, dizendo para seus homens pararem de lutar, Yuri faz o mesmo. Os homens dos dois lados se amontoam ao redor dos dois, Yuri crava a Gelo no chão, se ajoelha perante a espada e sussurra o lema da casa Stark:
  - O Inverno está chegando ...
A Lannister faz o mesmo, gritando o lema de sua casa:
  - Ouça-me rugir !!!
Antes de começar o duelo, Yuri se dirige a Lannister:
  - Diga seu nome, não posso matar alguém em um duelo sem conhecer seu nome senhora.
A Lannister arranca se elmo com fúria e diz:
  - Rebecca, Rebecca Lannister.
Então os dois se levantam e avançam com ferocidade um contra o outro, lutam habilmente, a espadas soltam faíscas a cada encontro. A luta segue equilibrada, até que se aproveitando que o Stark baixa a guarda um instante, bate com a espada em uma de suas pernas derrubando-o, com ele caído, aponta sua espada para a garganta. Nesse momento Rebecca Lannister decide se vangloriar:
  -  Vejam homens, derrubei o poderoso Rei do Inverno, aquele que dizem ser tão resistente e intransponível como a própria Muralha, vejam homens nortenhos, seu rei está no chão!!!
  Rebecca olha ao redor, sorrindo e vendo o sorriso de seus homens, mas vê que os nortenhos estão rindo abertamente, achando isso estranho se dirige a Yuri:
  - Vê Stark, até seus homens riem perante sua queda.
Então ela vê que Rei Yuri também ri, e pergunta se irritando com essa história de risada:
  - Do que ri homem? Da morte? É tão destemido que ri na cara da morte?
Controlando o riso, Yuri responde a pergunta:
  - Tens muito o que aprender sobre lutas senhora, não é por que estou caído que perdi.
Então movendo-se mais rápido que o esperado de um homem com armadura completa, ele empurra a lamina da espada para longe de seu pescoço, senta e passa uma rasteira, em seguida sobe em cima dela e tira uma adaga de alguma parte da armadura, pressionando-a contra a garganta de Rebecca, eles ficam assim alguns momentos, olhando-se, então, Yuri joga a adaga longe, levanta e ajuda a senhora Lannister a por-se de pé então diz:
  - Volte a Rochedo Casterly senhora, a guerra não é para a senhora ainda, volte para seu lar e treine seus homens e a si mesma também, pode lhe ser útil, Winterfell não lhe fará mal, parta enquanto pode.
  Yuri se vira e vai embora junto seus homens, então um dos homens Lannister, todo surrado e coberto de sangue, se aproxima de sua senhora e pergunta:
  - Vamos senhora?
  - Rebecca não tira os olhos do estranho Rei no Norte e confirma com um aceno.

  Meses passam após a sangrenta batalha. Yuri, vagando pelos corredores do Castelo de Winterfell, conversa com seu castelão, e este lhe fala de um assunto um tanto delicado:
  - Senhor, passa-se o tempo, deves arrumar uma rainha, és jovens, pode gerar bons filhos, herdeiros para seu reino.
  - Concordo - Ele responde, que já vinha a muito pensando no assunto - e na verdade já tenho minha escolha, tratarei disso já meu amigo.

  Rebecca não acreditaria se a notícia tivesse vindo da boca de outro, enquanto corria até as muralhas de Rochedo Casterly ela se indaga sobre o que deu na cabeça do rei Stark para vir até suas terras. Do alto da muralha ela vê a comitiva nortenha, e vê Rei Yuri lhe sorrindo. Intrigada, grita a ele:
  - O que fazes aqui Rei do Norte? Se bem me lembro, disse que Winterfell não faria mal a Rochedo Casterly, Vossa Graça mentiu?
Desmontando de seu garanhão, Yuri Stark tira Gelo da bainha, a deposita sobre os próprios pés e grita de volta a Senhora Rebecca:
  - Não menti Senhora Lannister, a menos que ache um pedido de casamento um mal. Acha isso?
Sem entender direito por que sorri ao ouvir essas palavras, Rebecca manda abrirem os portões e responde:
  - Não creio que seja um mal, bem vindo a Rochedo Casterly Rei do Inverno.

FIM

Palavra do Autor:
  Bom, tem aqueles que vão perceber que esse conto é baseado nas Crônicas de Gelo e Fogo, de George R. R. Martin. Bom, realmente é, mas também é baseado em um sonho que tive enquanto cochilei durante a leitura de A Fúria dos Reis, o segundo livro das crônicas, e como alguns devem ter percebido ao ler outros textos do blog, sabe que a Rebecca Lannister do conto é Rebecca Kahamylla, e ela é minha namorada (mô, te adoro).