10 de nov de 2012

Padre? - Parte 1

  - Mas que filho da mãe ...
Yuri cai sentado, incrédulo, com todos os olhares da sala sobre si, ele não acredita no que acaba de ouvir, se isso foi uma brincadeira do Padre Bento ele deve ter perdido o bom humor, pois não via graça nisso, nem mesmo sentido.
  - E então meu jovem, você aceita? Aceita ser o padre da Igreja Matriz Nossa Senhora do Carmo? - Pergunta o advogado
Essas palavras atingem Yuri como uma bala de canhão, de onde Padre Bento tirou a ideia de que um adolescente de 16 anos poderia ser o padre de uma igreja? Ainda mais ele? O que tem o Papa na cabeça pra concordar? E como o Padre Bento conseguiu que ele concordasse?
  Yuri se levanta, pensa em falar algo, mas muda de ideia, se senta novamente e abaixa a cabeça, apoiando-a com as mãos, e diz:
  - Me deem um tempinho pra pensar por favor ...
  - Quer ficar sozinho um pouco filho? - pergunta seu pai, preocupado - Para pensar direito nisso?
  - Po-pode ser pai, obrigado.
Todos se levantam e saem da sala, o advogado, que é o ultimo a sair, se detém na porta um instante e fala:
  - Tem um envelope na primeira gaveta pra você, Bento disse que só você pode ler o que tem escrito lá. Boa Sorte.
Yuri se levanta, vai até a mesa e pega o tal envelope, de cor azul-escuro, com os dizeres "Ao meu melhor amigo" em branco e na letra do padre. Vai até a janela e pensa "Poxa, como me arrependo de ter conhecido esse cara", e então começa a lembrar de como se conheceram ...

  - Onde tu vai cara? - pergunta Lindonaldo, pai de Yuri - Amanhã voltam as aulas filho.
  - Vou dar uma volta pai, acho que vou passar lá na igreja matriz. - Responde Yuri indo até seu pai e dando um abraço -  Afinal é o ultimo dia de férias, e eu tava querendo passar lá durante as férias, afinal a igreja tá ligada a história da cidade, e como ela foi restaurada, to louco pra ir lá.
  - Ok, então vá, mas não volte tarde, amanhã tem aula.
Então Yuri sai, e ao longo do caminho encontra uns amigos, cumprimenta conhecidos e segue seu caminho,até que chega na igreja, e mal a vê e já fica deslumbrado, a restauração recuperou a beleza perdida dela. Quando entra, Yuri fica olhando para o teto, tão maravilhado, que de inicio não percebe um bêbado entrar, todo nervoso, mas percebe que tem algo errado quando ouve os gritos do bêbado vindos do fundo da igreja, ele vai cauteloso, com medo, e então percebe que o bêbado quer o vinho da comunhão para continuar a encher a cara, Yuri se aproxima furtivamente, e pega um castiçal de ferro numa estante próxima, o padre o vê se aproximar e nada diz, até que Yuri, com seus 13 anos, acerta o bêbado na cabeça, levando-o a nocaute. O padre, que esteve calmo todo o tempo, abraça Yuri e agradece:
  - Obrigado garoto, você me salvou a vida, acho que não passaria de hoje se ele soubesse que o vinho acabou na última comunhão, hahahahaha, mas ainda bem que você estava por perto.
  - Nã-não foi na-nada ... - responde Yuri ainda balançado com a situação - Mas o senhor está bem não?
  - Sim, sim, nada me aconteceu, mas infelizmente não posso dizer o mesmo de alguns dos meus bens né? - responde o padre se sentando com um suspiro cansado
E os dois analisam a sala todas bagunçada, com cacos e papeis e panos rasgados para todo lado. Então o padre pede que Yuri vá chamar um guarda na praça em frente a igreja antes que o bêbado acorde. Yuri vai correndo, e quando padre Bento deixa de ouvir seus passos ecoando dentro da igreja, sorri e diz:
  - Que bom garoto.

  Yuri dá um sorriso ao lembrar, e então se lembra do envelope em sua mão e a abre, e encontra uma carta, com a caligrafia de padre Bento, ele o abre e vê:
Para meu jovem amigo Yuri.

  Independente de sua decisão, você jamais vai me desapontar meu amigo, convenci o Papa, não digo como, mas consegui. E consegui algumas coisas também, mesmo que aceite ser o padre, poderá viver normalmente, você poderá criar um horário a seu jeito, poderá namorar, sair com os amigos como faria sem ser padre, mas não poderá esquecer das responsabilidades com a igreja, se aceitar pode deixar de ser padre quando quiser. Caso aceite, desejo boa sorte, e caso não, desejo boa sorte do mesmo jeito. E lembre-se, independente da sua escolha, sei que será a certa."

E então um "milagre" acontece, Yuri deixa algumas lágrimas caírem enquanto sorri, ele levanta a cabeça, vai até a porta abrindo-a de supetão, e diz:
  - Pois bem, tenho a minha resposta.
  - E qual é? - Perguntam todos em uníssono e se levantando ao mesmo tempo.

Fim da parte 1