19 de nov de 2012

Azar no amor, sorte no azar


Estou cansada desses joguinhos que fazem comigo, estou cansada também de ter pessoas me iludindo. É sempre a mesma coisa, sempre a mesma história, todo esse sofrimento veio com um indicio de felicidade. Mas, não era, novidade (?).
Sempre assim, te conheço, te gosto, confio, amo, e quebro a cara. Acho que isto está me matando, simplesmente; não poder confiar em ninguém, não é lá muito legal.
Gostaria de ter um amor daqueles sabe? Que se tem certeza de tudo, que se sabe, que a felicidade ali habita. Eu queria formar um casal fofinho, porém não chatinho, daqueles que se brigam, mas, dois minutos depois já estão abraçados novamente. Eu queria, mas, não posso.
Como era mesmo aquele ditado? Sorte no jogo, azar no amor? Acho eu que uma nova versão seria mais correta em meu caso: “Azar no amor, sorte no azar” É, parece-me correto agora.
Queria apenas saber por que a vida me prega peças, porque não posso simplesmente, ser neutra? Seria legal né?
 Pena que não posso a realidade não deixa. Ouvi dizer que ela é cruel, á alguns enlouquece, á outros até mesmo tira a vida.